Incógnito (Evelyn Postali) — EntreContos

Aquela espelunca, cheirando a cigarro e álcool, nos fundos do bordel, era chamada de escritório. E a pouca luz deixava tudo pior. Os poucos móveis que decoravam o lugar, contudo, eram melhores que as delegacias pelas quais percorrera antes daquele serviço porco. Odiava aquilo. Odiava aquela bandidagem toda. Estava começando a imaginar-se para sempre dentro daquele […]

via Incógnito (Evelyn Postali) — EntreContos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s