A Joia de Kaumã – Miniconto

WhatsApp Image 2021-03-21 at 22.42.01 O cinturão preso em seu corpo reluzia ao menor sinal de invasão ou perigo. Fora lhe dado por uma das grandes feiticeiras das Terras Escuras, além das Montanhas de Ébano, depois das florestas, cujas árvores frondosas e retorcidas criavam um barreira de espinheiros sombrios e venenosos.

Guerreiro algum que atreveu-se a impor sua espada contra aquele território voltou para contar a façanha e o reino de Mira mergulhava em sobras eternas. Escravos das vontades do autoproclamado imperador, o povo faminto e medroso trabalhava nas minas, nas forjas e na agricultura, enriquecendo o soberano e munindo suas hostes de armas. Os mais jovens seguiam para o exército depois da alma aprisionada, poder conferido ao tirano pelas mesmas forças sombrias que lhe presentearam o cinturão.

Os anciãos, sabedores das profecias mais antigas, aguardavam a alma corajosa capaz de destruir a joia que fortalecia o tirano e libertar o reino de seu poder maléfico. Na noite do solstício de inverno, quando a Lua azulou os campos nevados, a joia reluziu.

******

The belt attached to his body gleamed at the slightest sign of invasion or danger. It had been given to him by one of the great witches of the Dark Lands, beyond the Ebony Mountains, past the forests, whose leafy and twisted trees created a barrier of dark and poisonous thorns.

No warrior who dared to impose his sword against that territory returned to tell the feat and Mira’s kingdom was plunged into eternal remains. Slaves to the wills of the self-proclaimed emperor, the hungry and fearful people worked in the mines, forges and agriculture, enriching the sovereign and equipping his host of arms. The younger ones went to the army after their imprisoned soul, power conferred to the tyrant by the same dark forces that presented him with the belt.

The elders, aware of the oldest prophecies, awaited the courageous soul capable of destroying the jewel that strengthened the tyrant and freeing the kingdom from its evil power. On the night of the winter solstice, when the moon blued the snowy fields, the jewel glittered.

****

Créditos da imagem: Evelyn Postali

4 pensamentos sobre “A Joia de Kaumã – Miniconto

  1. Olá. Um miniconto que tem o poder de nos fazer desejar mais. Saber o destino do povo, do tirano, e quem viria combatê-lo e qual seria o desfecho. Tem mais? Aguardando
    aqui

    • Espero conseguir escrever as outras duas partes logo. Como exercício de escrita baseado em uma imagem, até que não ficou tão ruim. As ideias vêm. Achei melhor aproveitar essa e escrever direto, sem muito planejamento.
      Gratidão pela leitura e comentário.
      Beijos e abraços carinhosos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s