Nessa manhã…

Créditos: Evelyn Postali

Nada posso dizer

Senão o que não me cabe

O que não me acaba

O que me consome.

Destino.

Nada posso lembrar

Senão o que me alimenta

O que agarra minha alma

O que supera o meu tempo.

Liberdade.

Nada posso dizer

Além daquilo que assimilo

Dos limites que ultrapasso

Da vida ainda insistente.

Nessa manhã de setembro

Respiro.

———

Fino, estranho, inacabado, é sempre o destino da gente – João Guimarães Rosa

Um pensamento sobre “Nessa manhã…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s