A Trilha – Miniconto

Créditos da Imagem: Evelyn Postali

A TRILHA

Próximo ao Quinto Distrito de uma cidadezinha qualquer existe uma trilha peculiar. Contam os caminhantes que da terra, naquelas paragens, brota uma água vermelha viscosa em determinado período do ano, quando a primavera está para terminar seu último mês. A água aparece com as chuvas mesmo escassas e se espalha pela trilha até chegar no monolito de concreto. Lá, empoça e fica borbulhando até secar.

Do grupo de árvores acima do cerro, de um conjunto de eucaliptos ouvem-se vozes quando o minuano toca nos galhos e as folhas trepidam. Junto do murmúrio, entoam-se cantos indecifráveis em uma língua cuja tradução ninguém jamais fez. Depois é só silêncio.

A última coisa que se vê, mesmo quando o minuano aquieta, é uma nuvem alta de poeira percorrendo um pedaço da trilha ao som de galopes fortes. Quem já esteve por lá, conta que são mais de cem cavalos desgovernados a passar cruzando a trilha.

Um pensamento sobre “A Trilha – Miniconto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s