Poema

Créditos da Imagem:: Evelyn Postali

SE(N/M)HORA

Sou eu, aí, na pressa dos meus dias,
No carro,
no trabalho,
na pia.
Espremida,
pressionada,
contida
no reverso do reflexo vazio.

Eu, esposa que me enfeito.
Eu, mãe que adormeço.
Eu, mulher que desejo.
Eu minto,
eu sonho,
eu me esqueço.

Deixo-me ficar assim
De um jeito turbulento.
Eu, senhora.
Na repressão do tempo,
No inverso da minha hora.

4 pensamentos sobre “Poema

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s