Contemporâneo (Evelyn Postali)

O ilegítimo invadiu o castelo com a Plenitude nas mãos. A esperteza era a lei, era sua espada. Ele não renunciaria. Quem quisesse adoçar a vida com a leveza da verdade, que ocupasse outras terras, que se mudasse. O povo que aguentasse o peso negativo do golpe, o açoite escancarado da corrupção, o corte da guilhotina das mudanças.

Fonte: Contemporâneo (Evelyn Postali)

Número

Número

  Disfarçou um olhar sereno e pronunciou um ‘sim’ quase calado. Não tiraria aquele sapato por nada. O pé que aguentasse com humildade o aperto insuportável e frio do cristal. A sofreguidão não duraria para sempre, afinal, estava se casando … Continuar lendo

O poder do Amor

O poder do Amor

O gambá morreu ao salvar a fêmea e a prole do atropelamento. Chegando ao Céu, bateu na porta de forma humilde.  Na terra, tão desprezado, encolhia seu espírito, apesar de não se envergonhar da origem. O moço que abriu o grande portão olhou-o … Continuar lendo

Número (Evelyn Postali)

Número. Microconto. 5 palavras.

Micro Estórias

Disfarçou um olhar sereno e pronunciou um ‘sim’ quase calado. Não tiraria aquele sapato por nada. O pé que aguentasse com humildade o aperto insuportável e frio do cristal. A sofreguidão não duraria para sempre, afinal, estava se casando com o príncipe.

Ver o post original

Despedida (Evelyn Postali)

Micro Estórias

Com um olhar suplicante, mas impotente, ele a viu partir. Ela jogou um beijo discreto e acenou da janela. Seguiu a pé da rodoviária para casa, tentando acalmar a revolução que bagunçava por dentro todos os sonhos e planos. Agora, tudo por dentro era meio cinza, feito um terreno baldio. A única coisa que restava era a lembrança do sabor do beijo de Isabela, parecido com o mel das abelhas criadas junto a plantações de assa-peixe.

Ver o post original

Folhetim (Evelyn Postali)

Micro Estórias

Perseguido, rastejou-se para perto do anêmico riacho pedindo perdão. Sentia a pele feito manga chupada até o osso. O cavalo não resistira. Morrera quilômetro atrás, na secura da caatinga. A sede se igualava ao medo quando o sol foi encoberto pela sombra do cangaceiro mais temido da região. Olhar para a mulher do sujeito na vendinha local selara seu destino.

Ver o post original

Manobra (Evelyn Postali)

Perceberam estar no âmago da nuvem de gás. A descoberta daquele ponto central limpo, sem turbulência serviria para estabilizarem o sistema. O momento era delicado. O engenheiro estipulara uma abord…

Fonte: Manobra (Evelyn Postali)

Capítulo Final (Evelyn Postali)

Enquanto escrevia o capítulo final, o cheiro almiscarado perpetuou a lembrança da visita à catacumba do pai. Em gesto iracundo, totalmente avesso ao que pretendia, matou outra vez. Dessa feita, o p…

Fonte: Capítulo Final (Evelyn Postali)

Chá? (Evelyn Postali)

Micro Estórias

Ouviu a campainha. “Hora de zarpar…”, lembrou-se da viagem. “Quando mesmo?” Levantou com a ressaca martelando. Calçou as pantufas. Abriu a porta e apertou os olhos – inútil tentativa de proteger o cérebro da luz. O, até então, hipotético abominável homem das neves, estava diante dele. Fechou a porta, indeciso. “Do que mesmo era aquele chá?”

Ver o post original

Chá? (Evelyn Postali)

Ouviu a campainha. “Hora de zarpar…”, lembrou-se da viagem. “Quando mesmo?” Levantou com a ressaca martelando. Calçou as pantufas. Abriu a porta e apertou os olhos – inútil tentativa de prote…

Fonte: Chá? (Evelyn Postali)

Microconto policial

Microconto policial

O assassinato de Lola, a tartaruga espanhola, era uma salada de confusão envolvendo o delegado Cardoso, um jacaré vindo de Miami, e o promotor, seu rival, Vegas, uma lebre que se tornara famosa pela prisão de Ubino, o javali serial … Continuar lendo

Julgamento

Julgamento

Osíris, sentado ao trono, olhava para o Curupira à sua frente. A julgar pelo desequilíbrio constante da balança, não seria nada fácil. — Não sei de nada disso, não, senhor. Essa tal escatologia, aí. Coisa mais estranha de se dizer… … Continuar lendo

Advento (Evelyn Postali)

Inundado de satisfação, o General prostrou-se aos pés da criatura fantástica surgida do portal dimensional. A devoção plena emergiu da resiliência. O poder domou suas entranhas e o fez reiterar sua…

Fonte: Advento (Evelyn Postali)

Advento (Evelyn Postali)

Micro Estórias

Inundado de satisfação, o General prostrou-se aos pés da criatura fantástica surgida do portal dimensional. A devoção plena emergiu da resiliência. O poder domou suas entranhas e o fez reiterar sua total obediência. A incúria de seus subordinados foi retalhada e substituída por ímpia coragem. No fim da batalha, os inimigos subjugados foram mortos. Outro tempo e Senhor reinava sobre a terra.

Ver o post original

Ritmo (Evelyn Postali)

O turno terminava. Sacudiu o pó do macacão ao som do hip-hop. A música o transformava. Guardou a alicate e a chave inglesa. Ajeitou as ferramentas na caixa. Seguiu com seu swing pela periferia, pas…

Fonte: Ritmo (Evelyn Postali)

Amanhecer

Amanhecer

Encontrou-se naquele cubículo cheirando a tudo, menos humanidade. Sentia-se um lixo, naquele amanhecer. O resumo da noite anterior precipitava nas olheiras daquele ser do espelho. A palidez esverdeada o fez olhar duas vezes. A ausência de um dos lóbulos embrulhou … Continuar lendo

Condição (Evelyn Postali)

Micro Estórias

Depois de flertar com ela e insistir nos jantares e passeios, romântico que era, soubera da condição hermafrodita do tipo verdadeiro. Há uma semana afundava-se em indecisões profundas e sentia-se desgastado por um pânico nunca vivido. Enquanto o engenheiro, cujas sardas mais pareciam sarampo na primeira fase, falava da função das bobinas de ignição, ele buscava uma saída adequada, uma fuga perfeita daquele mergulho desconhecido. Vanessa, do outro lado do grupo, observava-o atenta.

(Baseado em um jogo de palavras da comunidade Entre Contos do Facebook).

Ver o post original