Poema

(Foto-manipulação; fotografia minha, modificada digitalmente)

Nesse tédio no qual me encontro,
nem as flores,
nem amores a sorrir me encantam.
Nem as vozes.
É um mal, uma constante dor,
um dissabor etéreo
de gosto estranho,
desabafo de terra e mar.
E, a fugir de mim o sopro eterno,
vai minha alma a cobrir tuas mãos amadas,
a manchar de tons funestos
o olhar, a boca avermelhada,
o bater de um coração,
em tempo,
ainda apaixonado.