Coração Solitário – Miniconto

Coração Solitário – Miniconto

Elmut  participava das brincadeiras quando criança. Na convivência com os outros pequenos, costumava entregar-se ao riso e à fantasia. Inventava histórias, corria, e conquistava a simpatia de quem o tivesse por perto. Durante sua adolescência, atento aos ensinamentos dos alquimistas … Continuar lendo

Canções de Brincar, do livro de Raquel S. Beltrame (Processo Criativo – Arte e Literatura) por Evelyn Postali

No blog As Contistas desse mes, meu texto é sobre Canções de Brincar, livro de Raquel S. Beltrame. Nesse texto eu falo sobre o processo de criação das ilustrações para o livro e da importância do registro de obras populares como ponto de partida para educar para a diversidade que é esse país enorme chamado Brasil.

Para ler o texto, acesse AQUI.

Além do relato, você ainda tem acesso às páginas da autora e pode adquirir o livro.

Poema

COLAGEM

Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste!
Criança! não verás nenhum país como este!
Olha que céu! que mar! que rios! que floresta!
A Natureza, aqui, perpetuamente em festa,
É um seio de mãe a transbordar carinhos.
Vê que vida há no chão! vê que vida há nos ninhos,
Que se balançam no ar, entre os ramos inquietos!
Vê que luz, que calor, que multidão de insetos!
Vê que grande extensão de matas, onde impera
Fecunda e luminosa, a eterna primavera!

Boa terra! jamais negou a quem trabalha
O pão que mata a fome, o teto que agasalha…

Quem com o seu suor a fecunda e umedece,
Vê pago o seu esforço, e é feliz, e enriquece!

Criança! não verás país nenhum como este:
Imita na grandeza a terra em que nasceste!

In: BILAC, Olavo. Poesias infantis. 18.ed. Rio de Janeiro: F. Alves, 195