E Por Falar em Imagem…

E Por Falar em Imagem…

Esse é o primeiro mapa que desenhei para uma história de fantasia – O Propósito dos Deuses: Adversário Oculto, do escritor Kaio Souza. Confesso que o resultado superou minhas expectativas. Seguir um roteiro dado pelo escritor e dsenhar castelos, terras … Continuar lendo

Hoje não tem microconto…

Hoje não tem microconto…

Hoje não tem microconto porque falarei de Rasga-Ossos, livro de Sabrina Dalbelo, ilustrado por mim. “há pontos de luzno céu dos seus olhosa iluminação reflete nos meusinsólitos quando te vejoinsisto em acender fogueirasà luz das estrelasno deserto furtivo olharcomo paciência … Continuar lendo

Poema

Poema

LOGRO (Evelyn Postali) Olhai, olhai!Elas se levantam,Em pontas ao céu erigidoAzuis e cinzas rígidos,De pampa e terra e cavalo.Olhai, olhai!Deste solo de minuanoA tocar uma canção funéreaDe corpo, de sangue,De pó, de bandeira e pialo. Erguei as lanças,Ó, lanceiros, erguei!Erguei … Continuar lendo

Divulgação

Para Ler em Dia de Chuva entrelaça duas formas distintas de criação: literária e imagética. Leva o leitor para esse percurso entre o texto e o desenho de forma leve e descompromissada. O conteúdo é instigador e oferece a oportunidade de ir além das palavras.

Esse é meu sétimo livro, dessa vez, pela Signo Editora. São sessenta micronarrativas, todas ilustradas por mim. O design gráfico foi feito pela Amanda Marcon. Formato quadrado, 15×15, 124 páginas, sem orelha.

Valor da pré-venda: R$25,00 (frete não-incluso). Para adquirir, basta enviar e-mail (evelynpostali@hotmail.com) e combinar pagamento e envio.

Para Ler em Dia de Chuva aguarda você!

Gratidão pelo apoio!

Promessa de Liberdade

Promessa de Liberdade

Promessa de Liberdade é uma distopia que apresenta um Brasil muito diferente do que temos hoje, mas nem tão diferente assim. A escrita dessa história partiu da premissa de: E se a Lei Áurea não tivesse sido assinada? Foi a … Continuar lendo

Mó do Tempo, Pó da Alma e Onze Poemas

Mó do Tempo, Pó da Alma e Onze Poemas

Sempre penso na frase de Mário Quintana… “A poesia não se entrega a quem a define.” Por isso, eu não sei bem se são poemas. Escrevo quando meu sentimento não cabe em mim. Busco traduzir em palavras o que não … Continuar lendo

Pré – venda! América, a Girafa Cantora chegando…

América a girafa cantora está pronta para fazer parte da sua família! 🦒

Adquira o LIVRO 📖 na pré-venda por R$ 49,90 (+ frete).

Manda mensagem no Direct 💬 ou pelo📱WhatsApp (54) 99146-9927

Além do livro, você recebe um MARCADOR, um CARD e um encarte com a PARTITURA para piano, teclado 🎹 e violão 🎸.

Envio para todo o Brasil a partir de 12 de março.
.
.
.

livro #livroinfantil #livroeleitura #leitura #américa_a_girafa_cantora #girafa #diversidade #inclusão #música #letraemúsica #parapiano #marcador #card #leiaumlivro #leiaparacrianças #literaturabrasileira #literaturainfantil #partituraparapiano #paraviolão #partituracifrada #letraemúsica #literatura #pracultura #antônioprado

Capas de Livros

Capas de Livros

Se eu disse que não gosto de criar capas para livros, estou mentindo. Amo! Mas é um trabalho bem mais exigente, não só porque ela precisa traduzir o conteúdo interno, mas porque precisa vender o produto. Sim. Uma capa precisa … Continuar lendo

América, A Girafa Cantora

América, A Girafa Cantora

Sabe um projeto lindo, que dá orgulho ter participado? Então, América, a Girafa Cantora é um livro infantil que fala sobre diferenças que fazem diferença na vida. Uma história para contar, cantar e encantar. A @seforasr soube usar das palavras … Continuar lendo

Ilustrações – Páginas do Imaginário – Contos Fantásticos

Ilustrações – Páginas do Imaginário – Contos Fantásticos

A humanidade escreve sobre humanidade. Não existe outra forma de entender o mundo senão através do entendimento do humano, do que nos diz respeito ou nos devora. E as histórias, sejam de forma oral ou escrita, envolveram o ser humano … Continuar lendo

Hoje não tem microconto

Hoje não tem microconto

Hoje não tem micronarrativa, apesar de ter sido feito o desafio diário. Hoje não tem micronarrativa porque estou especialmente feliz. América, a Girafa Cantora, está finalmente na gráfica! Foi um imenso prazer construir o roteiro de desenho e pintar cada … Continuar lendo

Retrospectiva

Retrospectiva

2021 foi, sem dúvidas, muito mais controverso que 2021. Não vou me deter nos dissabores vividos. Quero, sim, tornar evidentes as realizações, especialmente na área de Literatura, onde entre exercícios de escrita e publicações consegui elevar os ânimos e afastar … Continuar lendo

Cinquentenário do 20 de Novembro

Muito, muito feliz!
Meu poema, cujo título é LOGRO, foi selecionado no concurso 50 Poesias e Textos sobre o Cinquentenário do 20 de Novembro.
Ele vai integrar o livro “Cinquentenário do 20 de Novembro em Textos”. Esse concurso integra as comemorações pelos 50 anos da criação do Dia da Consciência Negra. O concurso selecionou poemas e outras formas de texto sobre a temática e questões relacionadas à data.
Nesse poema eu falo dos Lanceiros Negros e de sua história.

Está chegando o dia!

Neste sábado, 13 de novembro, às 15 horas, estarei participando da cerimônia de premiação do IV Prêmio ABERST de Literatura.

Estarei concorrendo com meu livro FULIGEM na categoria Narrativa Longa de Ficção de Crime – Prêmio Rubem Fonseca junto a dois grandes escritores, J.P. Schmidt e Amilton Alves. Páreo difícil, mas já agradecida por chegar até a final entre escritores experientes e com trajetórias de sucesso.

A cerimônia acontece no canal CULTURA À MILANESA, no YouTube.

Aos leitores(as) desse blog, fica meu convite para prestigiarem o evento e minha gratidão pelo apoio de sempre.

Dia Nacional do Livro

Não fosse pela falta de comida, não fosse pela falta de trabalho, não fosse pela falta de salário digno, não fosse pela falta de escola, não fosse pela falta de água, não fosse pela falta de saúde, não fosse pela falta de saneamento básico, não fosse pela falta de conforto, não fosse pela falta de diversão, não fosse pela carência de tudo, livros seriam necessidade básica, feito o ar que respiramos todos os dias, a encher nossos pulmões de vida. Se ao menos vivêssemos e não somente sobrevivêssemos nessa economia avessa a qualquer tipo de igualdade social, esse dia não passasse tão alheio à maioria.