IV Prêmio ABERST de Literatura

Ontem, 2 de setembro foram anunciados os finalistas do IV Prêmio ABERST de Literatura.

Meu livro Fuligem conquistou mais uma etapa. Está entre os três a disputarem o prêmio na categoria Narrativa Longa de Ficção de Crime, Prêmio Rubem Fonseca.

Sinto-me muito feliz por chegar até aqui.

Divulgação

Divulgação

Caligo Editora lançou hoje uma campanha de financiamento coletivo no site Catarse com vários e-books, entre eles, Mulheres em Verbo, livro de contos do coletivo As Contistas, do qual faço parte. Esse financiamento é imperdível. Aproveita, dá uma lida nas … Continuar lendo

É uma guerra e estamos perdendo batalhas

COLUNA ASAS - MARÇO 2021 - É UMA GUERRA E ESTAMOS PERDENDO BATALHAS

“(…)

O que me desassossega, entristece e desacorçoa é o fato de o livro, como objeto físico ou digital, ter perdido a condição de necessidade básica nesse país, de não fazer parte da vida diária de uma parcela considerável da população brasileira, de não estar ao lado da cama, na mesa de cabeceira de muita gente. Livros, leitura, Literatura… Há um menosprezo (palavra forte, essa) por quem lê, pelo livro, por quem escreve, pela leitura, pelo conhecimento de forma generalizada. Há um desdém pela cultura também (tema para outro dia). O sujeito que lê tornou-se um “contraventor”, alguém que está na contramão da maioria, quase uma afronta para a atual “normalidade”; um cara chato, que fala palavras difíceis ou desconhecidas, que aponta erros gramaticais, cheio de associações de ideias. 

(…)”

Na Coluna Asas #47, no blog da Editora Caligo, você lê meu artigo na íntegra. Vai, lá! Clica AQUI

Fuligem!

Fuligem!

Hoje à tarde os livros chegaram. É uma alegria imensa saber que foi concretizado mais um projeto de escrita. Uma história que começou aos poucos, pela organização do roteiro e personagens, e foi crescendo na construção textual. Quatro anos até … Continuar lendo

Fuligem, uma história policial para você!

CARDS TEXTO LIVRO 9

“Uma investigadora determinada, um jornalista à procura de respostas e um policial buscando redenção se envolvem em um crime não solucionado.

Nas ruas de Porto Alegre, a colisão de suas vidas movimenta os pratos da balança entre o bem e o mal, entre a verdade e a mentira, jogando-os em um redemoinho mortal.”

Fuligem é uma história policial e está em pré-venda pela Editora Caligo, no Catarse. Clica AQUI.

Se você gosta desse gênero, faz uma visita ao projeto. Dá uma olhada nas recompensas!

E não esquece de assistir ao booktrailer do livro. Clica AQUI. Depois, diga-me se gostou ou não.

Que tal apoiar essa campanha?

Se você gosta do gênero policial, esse livro está esperando por você no CATARSE.

Está saindo pela Editora Caligo. Vai lá! Dá uma olhadinha nas recompensas.

Entre o sim e o não, o perigoso caminho do ego

COLUNA ASAS - FEVEREIRO 2021 ENTRE O SIM E O NÃO, O PERIGOSO CAMINHO DO EGO

“(…)

É natural e aceitável um autor escrever de forma a apresentar o lugar onde vive, deixar à mostra as expressões idiomáticas, retratando traços culturais de um grupo humano ou lugar. Isso, no meu entendimento, valoriza e enriquece a escrita. Eu, como leitora, gosto de conhecer os traços peculiares das falas de lugares onde nunca estive. E é inadmissível que, em um país enorme territorialmente, se valorize apenas narrativas de determinado lugar, ou se exclua do texto expressões próprias do lugar do autor. Avaliações valorativas ou depreciativas tendem a acontecer na crítica literária – sem querer levantar a treta e já levantando.

(…)”

Na Coluna Asas #33, no blog da Editora Caligo, você lê meu artigo na íntegra. Vai, lá! Clica AQUI.

Fuligem – Romance Policial

MINIATURA 12x18 para Caligo

Meu romance policial está em pré-lançamento no CATARSE.

Está saindo pela Editora Caligo.

BANNER FULIGEM 2 cópia

Vai lá! Tem recompensas.

Cartões mockupMarcadores mockup

BANNER FULIGEM TAMANHO MENOR 2

Ser ou não ser autor independente: eis a questão!

COLUNA ASAS - JANEIRO 2021 SER OU NÃO SER AUTOR INDEPENDENTE

“Cá estou eu, lendo alguns artigos quando me deparo com a frase: Esperar editora é utópico. O sujeito, autor da frase, é nada menos que Ryoki Inoue, escritor japonês de mais de 1100 títulos, dono da empresa Ryoki Inoue Produções, que abriu mão das editoras e partiu para a publicação de seus próprios livros.


Quem, em sã consciência, sendo escritor/escritora, não quer ser contratado por uma editora? “Boa pergunta, Evelyn”, vocês dirão. Pois é. (…)”

Na Coluna Asas #28, no blog da Editora Caligo, você lê meu artigo na íntegra. Vai, lá! Clica AQUI.

Em um Brasil fantástico, pouca fantasia se escreve?

zombie-1464386

Por que em um país recheado de mitos e lendas a literatura não dialoga com eles? Por que há um preconceito resistente para com o nosso folclore, para com os nossos seres fantásticos? Por que escritores buscam em terras nórdicas, americanas, europeias, asiáticas, os roteiros para sagas e longas narrativas de ação?

Na Coluna Asas #20, no blog da Editora Caligo, você lê meu artigo na íntegra. Vai, lá! Clica AQUI.

Lugar de fala, dar protagonismo, roubar protagonismo

Lugar de fala, dar protagonismo, roubar protagonismo

“Meu trabalho de escrita é sempre difícil e solitário, mas nessa luta por dar protagonismo – luta justa e necessária – sinto que não estou só. E é preciso seguir. E é preciso mais.” Leia o texto completo no Blog … Continuar lendo